Monday, December 04, 2006

Lagosta Viva



Há umas poucas semanas inauguraram um supermercado asiático gigantesco. Minha esposa e eu acompanhamos a construção e estávamos na espera. Quando eu passei em frente no sábado de manhã a caminho do lava à jato (deu uma nevada de última hora só para sujar carro) vi que já estava cheio de carros e em pleno funcionamento. Assim que a Sofia, nossa filhinha de dois anos dormiu, fomos conhecer o local. Eu estava procurando uma fruta chinesa que o meu amigo Edge tinha recomendado [a não comprar], a Durian. Não encontrei a danada, mas já que estava lá comprei uma porção de coisas que nem sabia o que era e outras que sabia.

O que me chamou a atenção foi um tanque cheio de lagostas vivas e Dungeness Crab (um caranguejão daqui). Eu pedi uma lagosta e escolhi do tanque, apenas US$ 7.95 pela libra. O cara simplesmente tirou a lagosta com uma rede colocou num saco de papel e este dentro de um saco de plástico, pesou e somou os US$ 12.27. Eu continuei comprando, mas não tirava da cabeça o sofrimento que a lagosta estava passando. Cada vez que olhava para o carrinho de compras e via o saco, pensava no desconforto da lagosta. Minha mulher falou para eu deixar destas coisas. E depois ela pergunta porque nunca me viu chorando...

Eu cheguei em casa e tirei as fotos (uma delas é a que vocês vêem) e filmei um pouquinho também. A lagosta tava tão fraquinha que mal podia mover as patas. Eu a coloquei numa grande panela com água e ela ameaçou se animar. Quebrei uns biscoitos Cream Crackers estilo brasileiro (que você só encontra nos melhores supermecados asiáticos) e coloquei na panela como alimento. Sai com a família para o Shopping Stonebriar para a Sofia brincar no playground [gratuito] que tem por lá, já que está impossível ir para o parquinho aberto aqui perto de casa com a temperatura atual.

No Shopping já imaginava como eu ia adotar a lagosta. Ia ensiná-la a apanhar bola de beisebol, rolar, fingir de morta, meu Deus, e se ela tiver morrido? Se tivesse morrido o jeito seria ir para a panela. Mas quando sai ela estava respirando, ganhando forças e ainda tinha os farelos do biscoito para se alimentar...

Cheguei em casa e corri para a panela. Lá estava a Camille (já tinha ganhado nome) morta. Minha mulher zombou de mim, como era de se esperar. Camille não morreria em vão, pensei. Quinze minutos depois, já no fogo e com os ingredientes certos já estava pronto para o seu sacrifício. Sua carne, embebida em manteiga derretida (hmmmm) aplacou minha dor e minha fome. Semana que vem tem mais.

10 comments:

Branca said...

Oi Z.

Eu entendo sua preocupação.
Tanto que não como peixe e frutos do mar, apenas camarão!
Tenho um aquario em casa de água doce. Tenho peixes que estão conosco a quatro anos!
Não teria coragem de comer essa lagosta, 1º por "pena", 2º pq ela é muito bizarra.

Boa semana!

Bj

Edge said...

camilla ha...uou. camilla..camilla..

nevada?? neve?
rapaz, na proxima manda uma foto pra gente ver ai como é amanhecer no friozim e com neve cobrindo a varanda :)

Zarastruta said...

B.

A coitada tinha acabado de morrer. Primeiro ela fica com pontos pretos, depois fica branca. Estava deliciosa...

E.

Aqui no Texas neva pouco (uns 10 cm no máximo). Vou colocar para você uma foto de Maryland onde morei quando cheguei por aqui. Por lá a neve é coisa séria.

Hemeterio said...

O Homer Simpson também inventou de criar uma lagosta. A bicha também morreu. Depois ele também comeu chorando, mas achando delicioso, rerere.

Apoio o efge: manda fotos da neve, uai, mesmo pouquin. Voce sabe que no Ceará também neva pouco e eu não me importo.

Dô&Dinha said...

Meus sentimentos!!! ôÔÔ tadinha de Camille ainda na flor da idade. Fiquei com os olhinhos marejados...

Sabe que também tive uma experiência assim?! Pois é, um carangueijo de estimação, que dei o nome de Sêu Gilvan, por causa do porteiro do meu prédio que era "birolhinho". Ao contrario de Camille, Sêu Gilvan sobreviveu por muito tempo até fugir com um circo mambembe que aportou no meu bairro, parece que se apaixonou pela moça que cospe fogo (uma paixão fulminate!!!) risos... Melhor pensar assim do que imaginar o bichinho morto, jogado num esgoto qualquer, né?!

Feliz Natal Sêu Lasher!!! Saúde!!!

Marcão said...

Zaras, falou e disse. Muita gentileza demais o comentário que você deixou lá no É por Aqui..., fico até pensando em repensar as resoluções de ano novo. Que Deus te dê muitas bençãos e vitórias no ano novo que chega assim tão abruptamente. E meus pêsames pela Camille, eu sei o que é perder um ente querido. Também ganhei um pintinho colorido quando era pivete...

Branca said...

Adorei a visita!!!rsr
Kd vc?!
bj

Anonymous said...

Zarastrutas, li seu coment no chongas e admirei a forma qual vc discutiu com justiça e inteligencia, calando a boca de muitos ignorantes, na parte de q discute sobre o lula, to lendo agora meio atrazado, mas valeu pela forma humana e racional com q comentou.

Anonymous said...

Lagosta boa é lagosta cozinhada viva... fresca. Por sinal, vc é fresco! Corta as bolas e frita

Sara said...

Eu não posso esperar para ser capaz de comer coisas como você está, eu acho que eu seria capaz de, em algum momento, a verdade é que eu acho que eu vou comer hoje a os restaurantes em jardins