Friday, May 18, 2007

You call it good weather, I call it global warming.**

Michael Crichton estava no Debate

Na sexta passada eu estava dirigindo para o trabalho num horário um pouco fora do normal e acabei ouvindo na rádio KERA, a subsidiária da NPR (National Public Radio – Radio Pública Nacional), uma discussão sobre a validade da seguinte proposição: Aquecimento Global não é uma Crise. O debate foi dividido em dois grupos, os a favor (que não vêem o aquecimento como crise) e os contra. Este debate vinha sendo anunciado há algum tempo, mas eu nunca tinha me ligado no dia e na hora. Mas eis as coincidências da vida, lá estava eu ouvindo a Kera no momento do debate. Eu já falei em outro post sobre o tornado que quase me pegou. No mês passado ocorreram nada menos que 5 tornados na minha região. Número que não é normal nem mesmo para uma década inteira. O último tornado de vergonha que tinha ocorrido por aqui foi há quase 10 anos. A cidade de Denton, relativamente próxima, inundou completamente e era uma área considerada livre de inundação, o que significa que as seguradoras não permitiam incluir cobertura (isto mudou depois do Katrina, agora você pode incluir inundação em qualquer contrato, mas maioria dos moradores não acreditou que isto pudesse acontecer).

Aquecimento global era um tema tabu por aqui. A maioria do povo americano não estava a par da situação e o governo tentava empurrar o problema para debaixo do tapete. Os Estados Unidos é praticamente um dos únicos países desenvolvidos a não assinarem o tratado de Kioto. Documentário do Al Gore e relatório da ONU depois, o assunto entrou na pauta. Até mesmo o cabeça-oca do presidente está falando no assunto. A visita que ele fez ao Brasil gerou bons resultados e hoje muitas pessoas vêm me perguntar se realmente é verdade que o Brasil é independente em energia e como é este negócio de carro a álcool. Antes vinham me pergunta se o Brazilian Wax (depilação à brasileira) era feito por todas as mulheres do Brasil. Um bom salto na qualidade do interesse (se bem que uma mulher bem depilada .... Ahhh ... vamos focar!). A coisa realmente está séria: Katrina, tornados no Texas, o inverno passado que teve dias com 27 graus centígrados de temperatura, seguidos de nevasca e chuva de gelo. O clima está realmente mudando.

Voltando ao programa do Kera, um dos que não acreditam na crise do aquecimento (mas acredita no aquecimento) é o escritor de ficção científica Michael Crichton, autor que eu gosto muito de ler. Os outros dois: um professor do prestigiado MIT e um professor emérito da Universidade de Londres. No outro córner, dos que acreditam na crise do aquecimento, uma cientista de clima que faz parte do grupo de Cientistas Preocupados, um criador de modelos climáticos da NASA e um professor de Oceonagrafia da Universidade da Califórnia. Parece uma discussão equilibrada, não? Mas esta não foi a minha percepção. Além do fato curioso de a voz do Michael Crichton ser voz de velho, ele foi muito convincente nos seus argumentos, bem como os demais que não acreditam na tal crise. Michael Crichton acredita que o clima da Terra sempre mudou (o que é um fato) e sempre vai mudar, não importa se estejamos aqui ou não. Isto levou à extinção muitas espécies ao longo da existência da Terra e ela com certeza vai estar aqui depois da extinção da raça humana. No livro Jurassic Park ele descreve como a aparição de uma praga no oceano, as algas que liberavam um gás altamente combustível e nocivo, o oxigênio, destruiu muitas formas de vida e permitiu a criação de outras, incluindo a humana. Afinal a floresta Amazônica não está com nada, quem gera o oxigênio necessário ainda são as algas marinhas. Do outro lado, dos que enxergam a crise, os argumentos mais pareciam com aqueles do pessoal do PSTU, usavam muito mais a ideologia do que a ciência, uma verdadeira decepção. Eu acredito que o aquecimento global é realmente uma crise, mas com certeza os argumentos contrários são fortes: o aquecimento está muito mais para os pólos, no equador a temperatura está estável e um pouco mais de calor nas latitudes mais afastadas não faria muito mal aos seres humanos (não seria muito bom para os animais). Para quem quer saber mais sobre o assunto, use o link abaixo. O inglês tem de estar afiado se quiser ouvir o programa (disponível para download).

http://www.npr.org/templates/story/story.php?storyId=9082151

** Você chama isso de clima bom, eu chamo de aquecimento global

10 comments:

ktunda said...

Oi Rodney, como havia questionado com você pelo email e pelo MSN. Como os americanos estavam vendo a questão do aquecimento global? Acho que vc respondeu as minhas perguntas com o seu 2 últimos textos.

Estive 5 anos no Japão, e neste período vi o descaso dos USA sobre o tratado de Kyoto e ao mesmo tempo o mundo fica de cabeça para baixo (literalmente). Voltando ao Brasil vejo a cidade de Curitiba sofrendo uma grande estiagem, seca e um longo período de calor, me lembrando algumas cidade do interior do nordeste do Brasil.

O governantes americanos rapidamente mudaram a sua posição sobre questões como poluição da atmosfera e aquecimento global e resolvem agora buscar produtos ecologicamente corretos e sustentáveis para gerar energia nos carros, pois nas fábricas ainda podem ser utilizadas as usinas nucleares.
Bem, conhecendo um pouco da história do povo americano (que é uma mistura de vários países), o início da procura do álcool do Brasil é o sinal verde para o uso dessa nova tecnologia há outros paíse principamente da Europa, e acho que todo esse movimento é algo mais visando o lucro do que algum sentimento ecologicamente correto. Enfim, tem dinheiro no jogo!

Michael

Hemeterio said...

Z;

O dabate sobre o Aquecimento pode ser longo e inconclusivo, e como eu estou a fim de "desfocar" o tema, aqui vai um bom argumento a favor de quem acha que há um lado bom em tudo.

Curiosamente, o problema que torna Marte hostil para a vida é sua baixa temperatura - e a falta de oxigênio, um pequeno detalhe.

Se Marte fosse mais quente, - já que ele tem água congelada nas calotas e no subsolo, haveria uma FORTE probabilidade do planeta abrigar e vida. E a longo prazo, produzir ozigênio através de algas importadas da Terra, que seriam cultivadas no recém formado oceano marciano.

Ora, nós humanos temos a tecnologia perfeita para aquecer planetas!

Será que o bom Deus, em sua Infinita Sabedorai, não estaria nos negando um planeta para dar outro de reserva?

Zarastruta said...

Ktunda,

Não sei a quem você está se referindo, mas o aquecimento global agora está em pauta. Só o CitiCorp vai separar uma linha de crédito de US$ 50 bilhões (muito dinheiro) para projetos "verde". Não tem nada de bonzinho. Todo mundo agora está vendo que aquecimento global vai render muito dinheiro para todo mundo (menos para a indústria).

Hemé,

Nessa eu estou contigo. Vamos exportar o aquecimento para além deste planeta.

ktunda said...

Marte, aqui vamos nós. Será que estaremos vivo até esse momento?

Edge said...

muito bacana. vou depois arrumar um tempinho para escutar o programa

Marco Aurelio Brasil said...

Zaratustra, a opinião de Crichton é um mix de evolucionismo com existencialismo e fatalismo. Pelo que entendi do teu resumo, ele diz que sempre foi assim, sempre será e o negócio é, para citar Marta Suplicy, relaxar e gozar. Fiz uma pós graduação há dois anos e um dos módulos era direito ambiental. As aulas me abriram os olhos para uma série de fatos absolutamente alarmantes. Percebi que só fiquei alarmado porque o assunto foi abordado sem o "PSTU way of crying". Ou seja, acho que teria sido muito melhor pro planeta que os tipos estranhos que desfraldavam a bandeira ecológica tivessem permanecido quietos.

Edge said...

Z, tem um documentário polêmico dizendo que essa coisa de global warming é uma grande farsa, tudo para direcionar e injetar dinheiro na a ciencia do tempo e meteorologia, já que cada vez mais os combustíveis derivados de petroleo estão sendo esgotados e as lutas aumentando. Nao sei se passou ai tambem.

da uma checada: http://www.abc.com.au/tv/comingsoon.htm#?vid=PRM0055156GGWS

o documentário é estilo 'bowling for columbine', bem esclarecedor e alarmante.

Zarastruta said...

Edge,

Você pode colocar dois bons especialistas com opiniões contrárias e eles diram coisas alarmantes para cada uma das posições contrárias. Existe um meio-termo nisto em que as coisas se apresentam mais reais. Só sei que nunca choveu tanto no Texas como está chovendo neste verão, tem teve tantos terremotos em um século como teve em um mês. O aquecimento global é real e mensurável. A dúvida é se é causada por humanos e se é tão letal como se dizem. Eu não vi este documentário. Mas pode ter passado por aqui.

Anonymous said...

CONTRA A TESE DO AQUECIMENTO GLOBAL ANTROPOGÊNICO

É certo que o "consenso científico" é MENTIRA:

http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2007/02/374113.shtml

http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=48404

http://www.midiasemmascara.com.br/artigo.php?sid=5869

http://www.midiasemmascara.com.br/artigo.php?sid=5930

http://www.midiasemmascara.com.br/artigo.php?sid=5953

http://www.midiasemmascara.com.br/artigo.php?sid=5972

É certo que cientistas que não creem no aquecimento global antropogênico foram falsamente citados como defensores dele:

http://resistir.info/climatologia/lindzen_rev2.html

É certo que os dados históricos sobre CO2 foram manipulados pelo IPCC:

http://portugues.larouchepub.com/outrosartigos/2007/0302_baixo_de_gore.html

É certo que o IPCC utilizou métodos duvidosos para refazer um gráfico histórico de temperatura:

http://resistir.info/climatologia/falsificacao_da_historia_climatica.html

É certo que os "verdes" tem usado sistematicamente de exageros e invencionices para obter poder político:

http://www.midiasemmascara.com.br/artigo.php?sid=5988

Zarastruta said...

Anônimo,

Que defesa passional!